Blog

POSTADO POR Kamila Gomes COMENTÁRIOS 0

A importância da manutenção periódica nos Sistemas de Combate a Incêndio

É muito comum, especialmente no Brasil – onde a cultura de fazer manutenção preventiva ainda não se firmou que os imóveis possuam sistemas instalados, mas que não funcionam. Servem como mera decoração. O ideal é que a manutenção seja feita de forma periódica e constante. Dessa maneira é possível se antecipar e evitar grandes avarias, que são mais custosas. Além disso, garante tranquilidade para os ocupantes da edificação. Fugir do custo fixo agora, pode sair muito mais caro no futuro.

A principal função do sistema de combate a incêndio é permitir que qualquer princípio de incêndio, seja rapidamente controlado, antes que atinja grande proporção. Ajudando assim, a preservar vidas e evitar um grande prejuízo material e financeiro.

É muito comum, especialmente no Brasil – onde a cultura de fazer manutenção preventiva ainda não se firmou que os imóveis possuam sistemas instalados, mas que não funcionam. Servem como mera decoração. O ideal é que a manutenção seja feita de forma periódica e constante. Dessa maneira é possível se antecipar e evitar grandes avarias, que são mais custosas. Além disso, garante tranquilidade para os ocupantes da edificação. Fugir do custo fixo agora, pode sair muito mais caro no futuro.

Quem realiza as manutenções nos sistemas

As manutenções preventivas e corretivas devem ser realizadas por profissionais habilitados, treinados e capacitados. O GRUPO FIRE é especialista em manutenções preventivas. Empresa sólida, inscrita nos órgãos competentes, com garantia de serviços e equipe técnica capacitada e qualificada.

Infelizmente, muitos gestores e proprietários de imóveis ainda preferem contratar um profissional autônomo sem certificação. Acreditam que a economia vale a pena, em detrimento da qualidade técnica.

Os resultados são:

  • Não resolução dos problemas;
  • Aumento do custo, por ter que contratar outro fornecedor;
  • Não cumprimento do prazo acordado;
  • Não atendimento da legislação em vigor, mesmo que o serviço seja entregue.

Pense no sistema de combate a incêndio como o carro que você tem na garagem. O que acha que vai acontecer se você nunca fizer uma manutenção nele? Vai começar a apresentar uma série de problemas, que o forçará a encostá-lo na oficina e desembolsar um bom dinheiro.

Quais sistemas devem passar pela manutenção preventiva?

  • Alarme de Incêndio e Detecção de Fumaça;
  • Hidrantes;
  • Chuveiros automáticos (Sprinklers);
  • Iluminação de Emergência;
  • Extintores de Incêndio;
  • Sinalização de Emergência;
  • Portas Corta e Fogo;
  • Pressurização de Escada de Emergência;
  • Sistema Fixo de Gases.

O que preciso saber para obter ou renovar o AVCB?

O Corpo de Bombeiros define através de suas Instruções Técnicas (IT), ou também chama em alguns estados de Normas Técnicas (NT), de que forma as Manutenções devem ocorrer. Para cada tipo de Sistemas de Combate instalado, tem uma IT ou NT que define periodicidade quais componentes e como devem ser testados e verificados.

A manutenção periódica nos sistemas de combate a incêndio varia de 3 meses a um ano, dependendo do sistema instalado. Além disso, toda Manutenção realizada deve ser registrada em um Relatório de Inspeção, que deverá estar disponível para verificação do Corpo de Bombeiros.

A falta das manutenções preventivas pode implicar na cassação do AVCB

O mal desempenho do sistema de combate a incêndio, não é o único resultado da negligência nas manutenções. Além do risco físico e material, há o risco de sofrer sanções por parte do Corpo de Bombeiros.

Se numa vistoria surpresa, seja por conta de uma programação pré-estabelecida, ou por denúncia, o Corpo de Bombeiros julgar necessário, pode notificar, multar e até interditar a edificação. Tudo vai depender da situação dos equipamentos instalados e o risco eminente a vidas humanas.

Redigido por Kamila Pontes Gomes, Engenheira Civil.

O Grupo Fire é especialista em cursos de formação de Brigada de Incêndio. Se precisar, entre em contato, conte com quem é referência em 07 Estados.